Arquivo de abril, 2010

O texto abaixo é um resumo de um trecho do livro de Joyce Meyer “O Vício de agradar a todos”. E traz uma valiosa lição de como nós que já aceitamos a Cristo e temos um coração sincero diante dele, não devemos andar afundados em culpa pelos erros que todos nós cometemos. Leia até o final, vale a pena.

PESSOAS COM PASSADOS QUESTIONÁVEIS E QUE AINDA ASSIM FORAM USADOS POR DEUS

Pedro: Pescador, um homem rude e bruto. Em Mateus 16:22-23 vemos Pedro tentando corrigir a Jesus, já em Mateus 26:69-75 mostra que Pedro até mesmo negou conhecer a Jesus. Porém quando viu a profundidade do seu pecado chorou amargamente e demonstrou um coração arrependido. E Deus é misericordioso e compreende nossas fraquezas, a tal ponto que pouco depois quando Jesus ressuscitou dos mortos o anjo mencionou especialmente Pedro pelo nome. (v7) Ou seja, mesmo tendo um histórico de tolice e fracasso Deus havia incluído Pedro nos seus planos. Pedro poderia ter passado toda a vida amargurado por ter negado a Cristo, mas resolveu deixar aquele passado pra tás e tornou-se valioso para o reino de Deus de tal forma que quando a sua sombra passava pessoas eram curadas  (Atos 5:15).
Ainda temos Jacó (o enganador), Rute(adorava idolos em sua terra), Raabe (prostituta), Paulo (o perseguidor de Cristãos) e  Mateus (cobrador de impostos), todos com passados mas que fizeram grandes coisas na terra por amor de Deus.

Deus escolhe as coisas fracas e loucas desse mundo de propósito, para que nenhum mortal tenha pretensão de se gloriar na presença de Deus. Somos como potes rachados, cheios de imperfeições, mas sendo assim as pessoas que vem a obra que fizermos sabendo das nossas limitações e imperfeições vão dar glórias a Deus e não a nós. Imagine um pote com uma lâmpada dentro e coberto com uma tampa. Embora esteja cheio de luz ninguém vai vê-la já que está tampado, porém se o pote estiver rachado a luz brilhará através das rachaduras. Do mesmo modo Deus trabalha através das nossas imperfeições.
Você pode amar um pote rachado? Deus pode! É algo de Deus cada um amar a si mesmo de forma equilibrada e saudável. Rejeitar e desprezar a si mesmo não provém de Deus.

(mais…)

Para ler os outros posts, clique no número correspondente: 1, 2, 3, 4 e 5.

Olá pessoal, como fomos de páscoa? Espero que todos possam ter curtido pelo menos um pouco a família a e preguiça..rs….e que estejam com as bateria recarregadas.
Eu posso dizer que estou, física e espiritualmente. Além de todas as coisas que eu venho fazendo e contando para vocês, meus momentos com Deus tem sido realmente bons e tenho sentido cada dia mais a presença de Deus. Domingo último tive um ótimo culto e me senti bem, sei que meu esfriamento agora já pode ser chamado de “aquecimento” já que estou uns 51% quente. E 51 é maioria, não é?
O livro “o vício de agradar a todos”tem sido realmente bom pra mim, pois no intuito de tratar o tema principal ele acaba por tratar de vários outros temas importantes e sem dúvidas que dão um up na vida espiritual.
Curioso que seja assim, como eu disse lá no primeiro post não é preciso muito, mas é preciso que seja sincero. Uma das coisas que se fala no livro e que tem me ajudado muito é que um passado de erros não impede um presente de comunhão, claro que ninguém quer errar, nem tão pouco é nossa disposição que isso aconteça, mas é fato que todos nós erramos, mas não temos que nos nortear pelos nossos erros ou pecados. No livro citam-se inúmeros exemplos de heróis da fé que tinham passados ruins mas reverteram a situação, pessoas como Rute, Jacó, Maria Madalena e tantos outros, mas um em particular me chamou a atenção, que foi o apóstolo Pedro. Pedro além de rude e brigão (lembram-se que ele cortou a orelha do soldado no jardim do Getsemani quando vieram capturar Jesus?) Pedro chegou ao extremo de nos últimos dias de Cristo, logo após afirmar que o seguiria até a morte negá-lo três vezes, Pedro poderia ter passado o resto de sua vida se lamentando por este fato, mas isso seria negar o sacrifício de Jesus que morreu para nos lavar de todo pecado. Pedro se levantou e se tornou um dos mais influentes e conhecidos apóstolos, assim como Paulo um notório perseguidor de Cristãos que acabou sendo responsável por quase 2/3 do novo testamento em revelação e que subiu aos céus e viu coisas que de tão maravilhosas não puderam sequer ser escritas.
Eu nunca fiz grandes besteiras, por um paradigma humano eu sempre fui comportado e cumpridor dos meus deveres, mesmo assim eu sei que errei e muitas vezes eu magoou o coração de Cristo, mas eu não preciso viver em eterna lamentação por estes erros.
Deus diz que lança meus pecados no mar do esquecimento, então não vou eu tentar ser melhor do que Deus e ficar relembrando estes erros. Isso porque eu sei que Deus conhece o meu coração e sabe que eu não erro porque quero errar, ou porque é minha intenção errar, erro porque ainda preciso de muito (um eufemismo) mais comunhão com Ele para errar menos, mas fico feliz de ver que erro muito menos do que antes, e quase nunca os mesmos erros.
Então se você errou, peça perdão a Deus e siga adiante, não fique remoendo aquilo que Deus morreu para te livrar, ele nos quer em proximidade com ele e não em proximidade com nosso pecado.
Um grande abraço.

Rodrigo Melo